AQUI e AGORA - Blog de conversas sobre a advocacia e o mundo

05
Dez 08

Depois de tudo o que expliquei há dois dias, tenho uma questão que me perturba a mente....

 

Os advogados que exercem o PO andam anos à espera para que o Estado (pessoa de bem) pague os honorários, enfim, o nosso "salário", e o Estado tarda em pagar, os Senhores do BPP fazem investimentos em bolsa e com "produtos tóxicos" americanos e tal, perdem o dinheiro dos clientes e eu (a quem o Estado deve dinheiro) tenho que os ajudar a sair da falência....

 

Não é estranho? Como é que o Estado avaliza um banco privado e não paga as suas dividas? Porque carga de água temos nós portugueses que ajudar os cliente do BPP? Sugiro que tornem públicos os normes dos cliente desse Banco! Já que vamos ajudar temos o direito de saber a quem vamos dar o nosso dinheiro, não?  

Tenho a certeza que não há nem um advogado defensor oficioso nessa lista!

 

Na verdade a maioria dos portugueses nem nunca deve ter ouvido falar em tal banco, porque este banco não é comercial...limita-se a gerir fortunas...limita-se?

 

Ou seja o BPP não concede créditos à habitação, nem para compra de carro, nem para férias. Eles têm depósitos brutais e fazem com eles o que bem lhes apetece e depois os lucros que têm com essas transacções dão aos clientes (e ficam com a sua parte claro está!) os prejuízos ficamos nós todos com eles!É porreiro pá!

 

Onde está o risco do investimento? Quando ganham, ganham e ninguém sabe de nada, nem o nome do banco.

Quando perdem é um ai Jesus e tem que ir um conjunto de bancos emprestar dinheiro. Mas eles emprestam só que o Estado tem que garantir??Lá vamos nós cobrir o empréstimo de 6 bancos, que coitados não devem ter onde cair mortos!

 

Haja vergonha! Se um empresário não gere bem a sua empresa e esta entra em falência o Estado tem que o salvar? Irá o Estado daqui em diante salvar todas as empresas? Não me parece que isto seja viável.

 

O argumento da confiança do mercado, que se o BPP falir os outros bancos ficam atarantados, também não me parece válido. Os bancos não são instituições assim tão frágeis, gerem milhões de euros.

 

A minha proposta é que o Estado deixe falir o BPP, pegue no dinheirinho que lá ia enterrar e pague a quem deve para continuar a ser considerado uma pessoa de bem!

 

Até ao meu regresso! 

publicado por hic-et-nunc às 11:48

as minhas fotos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
15
18
20

21
23
25
26
27

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO