AQUI e AGORA - Blog de conversas sobre a advocacia e o mundo

15
Fev 09

Hoje em dia estas comissões são bastante banais.

Acontece alguma coisa neste país e pimba, cria-se uma comissão parlamentar.

Neste caso queria falar da comissão parlamentar do caso BPN.

Primeiro não quiseram ouvir ninguém, depois quiseram ouvir todos. Mas claro esqueceram-se do pequeno pormenor que quando os foram ouvir, alguns já tinham sido constituídos arguidos, logo nem vale a pena comentar a triste ideia que foi convidar um arguido a vir à AR falar verdade!

Os que não são arguidos, como é o caso do Dr. Dias Loureiro, pertencem ao Conselho de Estado, o que equivale a dizer que mesmo que ele mentisse, inventasse uma história brutal, nada lhe pode acontecer porque tem imunidade...

A pergunta que se põe é: porque raio fizeram a comissão?? Porque não deixam nas mãos da justiça o que lhe é devido?

E agora fazem um ai Jesus porque o Dr. Dias Loureiro foi mentir à comissão?

Convidam um político (e ser político, todos o sabemos, já não abona muito a favor da verdade...) para ir "conversar" com um grupo de amigos (sim porque apesar de serem de partidos diferentes eles são todos iguais e logo todos amigos..) sobre um alegado crime que aquela pessoa cometeu e querem que ele chegue lá e quê? Confesse os seus crimes? Pensam que estão no Confessionário?

Acham estranho ele ter "lata" de mentir? Então o homem está em casa (mais à vontade ele não podia estar), entre amigos, num ambiente que lhe é familiar, e sabendo sempre que mesmo que faça asneira os amigos estão lá para ajudar!

Meus caros, há coisas estranhas na política portuguesa!

O Dr. Dias Loureiro, pessoa com quem até simpatizava, tem uma história muito estranha.

Mas o mais estranho de tudo é que mais uma vez a nossa classe jornalística mostra a sua falta de trabalho de investigação.

Porque uma pessoa, por melhor profissional que seja, num país como o nosso, para conseguir o que algumas pessoas conseguem....meus caros há que investigar.

E assim que se iniciasse a investigação encontrava-se alguns pontos estranhos: aos 28 anos era governador civil de Coimbra (porquê? o que tinha feito até aí que permitisse exercer tão alto cargo a nível local?), vai para o BPN e põe um sucursal do banco na casa dos pais? Isto não é no mínimo questionável? Então e os pais recebem uma renda do BPN, ou não?

Há coisas que uma pessoa que tem uma vida pública não pode fazer. Se quer que efectivamente os outros acreditam nela (é mais ou menos a mesma coisa que se passa com o Sócrates, ele até pode não ter nada a ver com o freeport, mas que se queria ser primeiro-ministro não podia ter caído numa destas, não podia...).

E digo mais, se o Dr. Dias Loureiro nã tem nada a ver com aquela confusão, que deixe o Conselho de Estado e que se ponha a jeito para a justiça apurar a verdade dos factos.

E se efectivamente fizesse isso ainda dava uma prova cabal de amizade para com o Presidente da República que a esta hora esta com uma grande pedra no sapato.

Até ao meu regresso!

publicado por hic-et-nunc às 12:20

as minhas fotos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO